Domenico Losurdo (1941-2018)

June 28, 2018

Blog da Boitempo

Domenico Losurdo na sede da Boitempo em 2017. Foto de Heleni Andrade.

É com profundo pesar que comunicamos o falecimento de Domenico Losurdo, um dos maiores e mais originais filósofos marxistas da atualidade, querido amigo e camarada. Ele nos deixou nesta manhã de quinta-feira, dia 28, aos 77 anos, vítima de um súbito câncer cerebral. Perda imensurável para o pensamento crítico mundial, Losurdo deixa um precioso legado para o pensamento marxista. Suas reflexões, sempre afiadas e eruditas, concentram-se na crítica radical ao liberalismo, ao capitalismo, ao imperialismo e à “tradição colonialista”. Sua última obra publicada em vida é O marxismo ocidental: como nasceu, como morreu, como pode renascer. Como forma de homenagem, disponibilizamos abaixo as páginas finais da obra, em que Losurdo reflete sobre as condições para o renascimento do marxismo no ocidente. A TV Boitempo está atualmente preparando a publicação de uma série inédita de vídeos com ele…

View original post 1,200 more words

Advertisements

Functional Programming in Python

June 27, 2018

Marco Bonzanini

This is probably not the newest of the topics, but I haven’t had the chance to dig into it before, so here we go.

Python supports multiple programming paradigms, but it’s not best known for its Functional Programming style.
As its own creator has mentioned before, Python hasn’t been heavily influenced by other functional languages, but it does show some functional features. This is a very gentle introduction to Functional Programming in Python.

What is Functional Programming anyway?

Functional Programming is a programming paradigm based on the evaluation of expression, which avoids changing-state and mutable data. Popular functional languages include Lisp (and family), ML (and family), Haskell, Erlang and Clojure.

Functional Programming can be seen as a subset of Declarative Programming (as opposed to Imperative Programming).

Some of the characteristics of Functional Programming are:

  • Avoid state representation
  • Data are immutable
  • First class functions
  • High-order functions
  • Recursion

One of the…

View original post 896 more words


Why Does the Pseudo-Left Hate Grover Furr?

February 23, 2018

The Red Phoenix

Grover Furr is an American professor and author. He has taught at Montclair State University in New Jersey for over four decades, and has written essays, articles and books on Soviet history in both Russian and English. Though his body of work covers a wide variety of topics, his most famous writings study the period of Soviet history under Joseph Stalin, particularly regarding controversies around the Moscow Trials, the Katyn “massacre,” the events in Poland in 1939, the murder of Sergei Kirov, the Ukrainian famine and Khrushchev’s “secret speech.” Furr’s research on the history of communism, Soviet history and the historical falsifications told against socialism is some of the most remarkable, ground-breaking and enlightening in the world. He uses a very precise and admirable document-based approach to research that is exceedingly valuable and hard to find elsewhere.

This approach, unsurprisingly, has won him more than a fair share of enemies…

View original post 2,102 more words


O enterro da “democracia utópica”

February 22, 2018

Blog da Boitempo

Promulgação da Constituição de 1988 em Brasília. Ao centro, presidindo a sessão da Assembléia Nacional Constituinte, Ulysses Guimarães.

Por Luis Felipe Miguel.

Quando o bloco soviético entrou em colapso, a ciência política estadunidense entrou em festa. Era o triunfo simultâneo do capitalismo e da democracia, enfim unidos como par indissociável. Uma democracia, é claro, plenamente equiparada à sua efetivação nas sociedades ocidentais. Samuel Huntington, o veterano cold warrior de Harvard, escreveu que a “terceira onda” de democratização, no último quarto do século XX, punha fim à polêmica sobre o sentido da democracia, em favor de sua versão concorrencial, limitada. Ainda mais ousado, Francis Fukuyama, então estrela em ascensão no neoconservadorismo, decretou a chegada do fim da história, com uma eternidade de economia de mercado e instituições políticas liberais nos aguardando pela frente.

View original post 939 more words


Neste momento, defender Lula é defender a justiça e a democracia

January 23, 2018

Blog da Boitempo

Por Luis Felipe Miguel.

O que caracteriza o cerco judicial contra o Lula, desde o início, é seu caráter arbitrário. O ex-presidente começou a ser perseguido antes que existissem sequer pretextos contra ele. O aparelho repressivo (polícia, procuradoria, judiciário) foi mobilizado para encontrar qualquer coisa que o incriminasse, o que já demonstra uma grave ruptura com o Estado de direito. Pedalinho, barco de lata, depósito de tralhas, era um barata-voa em busca de algo que pudesse ser mobilizado contra Lula.

View original post 907 more words


O outro lado do espelho: mirar a esquerda e repensar o futuro

September 19, 2017

Blog da Boitempo

Por Antonio Carlos Mazzeo.

“À esquerda, à esquerda, à esquerda!
Em frente, à conquista
dos Oceanos!”
Vladmir Maiakóvski, À Esquerda.

Nestas notas, esboço algumas considerações sobre o PT. Obviamente, não há espaço aqui, para refazer a história desse partido. Mas, nestas breves noterelle sobre sua trajetória, ressalto que apesar de ter nascido de uma grande e poderosa movimentação de lutas dos trabalhadores e de ter aglutinado um amplo espectro ideológico de esquerda dentro de suas fileiras – socialdemocratas, trade-unionistas, socialistas católicos, comunistas, eurocomunistas, ex-comunistas, ex-guerrilheiros, trotskistas, nacionais-libertadores, liberais radicalizados, etc – esse partido nunca se constituiu como uma organização revolucionária.1 Ao contrário, no próprio processo de construção e de consolidação, o PT foi adquirindo uma feição cada vez mais adequada à ordem burguesa, na medida em que se afirmava como partido institucional e conquistava governos, municipais e estaduais, sendo que nesse processo, a luta interna furiosa e muitas…

View original post 1,425 more words


Sob o véu do cretinismo

September 12, 2017

Blog da Milly

Quando o véu do cretinismo cai sobre qualquer sociedade uma das primeiras vítimas é a expressão artística. Sempre foi assim, e dessa vez não tem sido diferente.

O cretinismo está inundando nossa civilização por todos os lados. Dorias, Trumps, Janaínas, Kataguiris… são muitos os agentes entregues ao exercício de propagar a imbecilidade, a ignorância, o preconceito, o classismo e tudo o mais que serve para nos reduzir a coisas e nos tirar vida.

O que o MBL fez com a exposição patrocinada pelo Santander Cultural em Porto Alegre com obras de Portinari, Volpi e Lygia Clark vai entrar para a história como uma das ações mais estúpidas e intolerantes pelas quais já passamos – supondo que haja registros e que sobrevivamos a esse período triste de uma história que tem sido escrita por mãos como as de Trumps e Dorias, duas expressões do mesmo tipo miúdo de politiquices e politiquetes.

View original post 254 more words